Os andarilhos são perigosos

A UVP (Unidade de Vigilância Pediátrica) publicou as conclusões de um estudo piloto, com o apoio da APSI (Associação para a promoção da segurança infantil), sobre lesões associadas a acidentes com andarilhos.

“Os andarilhos são, isoladamente, o artigo de puericultura que mais acidentes graves provoca, tendo em conta o curto período em que são utilizados. Em Portugal são estimados 650 casos por ano suficientemente graves para obrigar a criança a recorrer a um serviço de urgência hospitalar“

Lesões Associadas a  Acidentes com Andarilhos

Estudo Piloto da Incidência Nacional de Lesões Associadas a Acidentes com Andarilhos

Resultados Finais

European Child Safety Alliance and ANEC joint position statement: Baby walkers
Lesões Associadas a Acidentes com Andarilhos: a memória dos pediatras 
Poster - Baby Walkers Related Injuries in Portugal: The memories of Paediatricians

Repercussões na Imprensa

Correio da Manhã - Uso de Andarilhos provoca ferimentos - 03 Outubro 08 
Destak - Uso de Andarilhos leva crianças ao hospital - 03 Outubro 08 
Diário de Notícias - Andarilhos levam por dia 2 crianças ao hospital - 03 Outubro 08 
Jornal de Notícias - Uso de Andarilhos é perigoso - 03 Outubro 08 
Público - Pediatras alertam para os perigos dos andarilhos - 03 Outubro 08 
Diário de Leiria - Uso de andarilhos levam crianças ao hospital - 04 Outubro 08 
Diário dos Açores - Andarilhos levam 2 crianças por dia aos hospitais - 04 Outubro 08

Definição de Caso

“Acidente com andarilho“:
acontecimento súbito, não intencional, com criança com menos de 18 meses de idade enquanto utilizadora de andarilho, que causou lesão corporal identificável com necessidade de recorrer a uma unidade de saúde (hospital, centro de saúde, consultório privado).

Duração:

A duração prevista da vigilância é de 1 mês, Maio de 2005.

Âmbito Geográfico:

Portugal Continental e Regiões Autónomas.

Número previsto de casos/ano:

A manter-se os dados do EHLASS, estima-se a ocorrência de 850 casos por ano; no entanto, atendendo à natureza retrospectiva de estudo e aos resultados de estudo semelhante desenvolvido através da CPSP (Canadian Paediatric Surveillance Program), esperamos obter entre 100 e 120 respostas positivas.

A notificação e o acesso ao inquérito também estão disponíveis por via electrónica.

Investigadores

Elsa Rocha

Membro da Direcção da APSI, Pediatra.
Hospital Distrital de Faro - Rua Leão Penedo - 8000-386 Faro.
elsarocha@hdfaro.min-saude.pt

Helena Menezes

Presidente da APSI
Vila Berta 7 - R/c Esq. 1170-400 Lisboa
hmenezes@apsi.org.pt

Protocolo 

Inquérito para impressão 

Notas

  • O estudo é proposto pela APSI, como parte de um projecto mais amplo que conta também com a colaboração do ONSA (Observatório Nacional de Saúde).
  • Qualquer dúvida poderá ser esclarecida com os investigadores.
  • Os nomes de todos os colaboradores constarão nas divulgações do estudo.